passeios ao Paúl da Serra

Está agendado para todos os primeiros domingos de cada mês uma subida ao Paúl da Serra pela estrada da Encumeada e regresso pelos Canhas (Ponta do Sol).

A concentração dos participantes é no café "Ponte Vermelha" Ribeira Brava com saída às 8h00, paragem no café da Encumeada para reagrupamento e partida para o Paúl às 10h30.

A chegada aos carros é ao meio dia!

Vem connosco!

O Picadeiro

Área Reservada

Testemunhos
III encontro em terras Transmontanas PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

III encontro BTTBRAVA em trás os montes 2014

 

O mote do III encontro foi "BE ONE dextroyer CANNONDALE à volta da barragem do Azibo", e como não há duas sem três, tivemos uma cannondale tipo pirata perneta que a cada subida fazia "CRAC-CADA-BOOM!", decididamente é mau olhado da BE ONE!

 

Visto não haver solução para o "CRAC-CADA-BOOM" da Cannondale do Nuno, assobiamos para o ar, e partimos para uma volta e meia à barragem do Azibo. Com os bofes de fora, que é como quem diz de pulmões colados ao guiador, percorremos uns audazes 50 kms numa devassa cavaqueira com cheiro à férias. Os arrotos cheiravam à mal digerida santola, a cabrito recalcado e a borrego estragado com todos. Que mais poderíamos querer?

-Pó!

-Dores de rabo mal habituado!

-E por fim, lentes envasseadas pelo suor de tamanho esforço!

 

O constante sobe e desce, a água cristalina, as aves de rapina e a BE ONE a torcer para um empeno "cannondaleano" foram a bandeira desta III história BTTBRAVA 2014.

 

Chegou-se a conclusão que para alguns BRAVISTAS é mais fácil um passeio nas terras quentes transmontanas do que um RAID no Paul da Serra.

 

Para o ano há mais, até lá dissemos-nos adeus sorridentes com esta bela ironia do destino: "BRAVAS" uma vez "BRAVAS" para sempre! O espírito "BTTbrava" esteve sempre presente, ninguém ficou para trás e todos com a alma a jorrar de alegria regressamos aos leitos familiares, à pensar nos dias que faltam para o próximo encontro, que desta vez percorrerá os trilhos circundantes da cidade Brigantina.

 

Fica por aqui então o nosso testemunho!

Continuações de boas pedaladas, boas férias e XTRDEBOM!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Governo eliminou discriminação do ciclismo no acesso aos apoios para o policiamento PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Policiamento de atividades desportivas
Governo eliminou discriminação do ciclismo no acesso aos apoios para o policiamento


O Governo publicou hoje em Diário da República os critérios de repartição das verbas do policiamento, provenientes dos jogos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, eliminando a discriminação das modalidades praticadas na via pública que vigorava desde 1992.
O Despacho n.º 3973/2014 do Ministro da Administração Interna e do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, estabelece os critérios de repartição das verbas de comparticipação do Estado para com os custos do policiamento, passando a ser abrangidas as modalidades amadoras praticadas na via pública que, até agora, eram obrigadas a suportar integralmente os elevados custos de policiamento, ao contrário do que sucedia com as modalidades praticadas em recintos desportivos. A publicação do despacho conjunto vinha a ser exigida pela Associação de Ciclismo do Minho (ACM), em representação do movimento associativo nacional relacionado com o ciclismo, desde finais da década de 90.
No dia 6 de março foi publicada a Portaria n.º 55/2014 que define os requisitos, as condições e as regras de funcionamento e de utilização da plataforma informática de requisição de policiamento de espetáculos desportivos (PIRPED) que será de utilização obrigatória para a requisição de policiamento de espetáculos desportivos e constituirá a infraestrutura através da qual serão praticados todos os respetivos atos e formalidades. Por outro lado, no dia 13 de março foi publicada a Portaria nº 68/2014 que procede à redefinição do âmbito de aplicação da tabela B das gratificações a auferir pelos militares e polícias pela prestação dos serviços de policiamento.
“Foi uma batalha dura e difícil que a ACM conduziu e empreendeu em representação do ciclismo nacional”, afirmou José Luís Ribeiro, presidente da ACM, fazendo questão de salientar que “foi com este Governo que o problema foi resolvido e não com qualquer outro que esteve anteriormente em funções, desde 1992, e que também poderia ter eliminado a desigualdade no acesso aos apoios do Estado”.
Para o dirigente minhoto, “finalmente foi feita justiça e eliminada a discriminação do ciclismo, fazendo questão de destacar a “sensibilidade e o contributo para a resolução do problema do Ministro Miguel Macedo, do Secretário de Estado Emídio Guerreiro, do anterior titular da pasta do desporto Alexandre Mestre e dos deputados Altino Bessa e Agostinho Lopes, entre muitos outros que se associaram e deram o seu contributo”.
“Depois de anos e anos a lutar contra a discriminação do ciclismo, a pagar os elevados custos do policiamento e a sermos desprezados pelo poder político, conseguimos finalmente que o ciclismo amador fosse incluído no regime de policiamento de espetáculos desportivos e de satisfação dos respetivos encargos”, afirmou José Luís Ribeiro defendendo que “ a resolução deste problema é um legado deste Governo mas também um legado da ACM”.
José Luís Ribeiro assegurou que “um dia se fará a história deste tormentoso processo”, garantindo que a ACM foi confrontada no seu decurso “com insensibilidade, menosprezo, hipocrisia, enfim, com imensos obstáculos mas que também “foi agradavelmente surpreendida e granjeou preciosos apoios”.
Com a publicação em 1992 do regime de policiamento de espetáculos desportivos e de satisfação dos encargos (Decreto-Lei nº 238/92), o ciclismo amador era excluído dos apoios do Estado na medida em que apenas estava prevista a sua aplicação ao interior dos recintos desportivos, entendido como “espaço criado exclusivamente para a prática do desporto, com carácter fixo e com estruturas de construção que lhe garantam essa afetação e funcionalidade, dotado de lugares permanentes e reservados a assistentes, sob controlo de entrada)”.
Em outubro de 2012, na sequência das diligências da ACM, foi publicado um novo regime de policiamento que passou a incluir as atividades desportivas realizadas na via pública (Decreto-Lei 216/2012) mas a ausência do despacho governamental continuava a impedir que modalidades como o ciclismo beneficiassem dos apoios para o policiamento.
A publicação do despacho conjunto de definição dos critérios de repartição das verbas do policiamento veio finalmente permitir que, em igualdade de circunstâncias, as modalidades amadoras praticadas na via pública também acedam às verbas provenientes dos jogos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para financiar o policiamento desportivo.

Texto retirado integralmente da "newsletter da ACM"

ACM - Associação de Ciclismo do Minho
Rua das Violetas, nº 600
Urbanização da Atouguia, Bloco A, 2ª fase
4810-059 Guimarães
Telefone: 253 416946 - Telefax: 253 408839

 
7º RAID SALOIO 2014 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Os BTTbrava vão participar no "7º Raid Saloios BTT" 2014, versão 60 kms. Estão previstos muitos trilhos deslumbrantes na zona oeste. Queremos divulgar novas organizações no mundo do BTT, assim como eventos que ao longo destes anos vão ganhando "peso" no panorama nacional. Iremos partilhar toda a experiência adquirida. Prometemos toda a reportagem após o evento.

 
Avalanche RAPOSEIRA 5ª edição PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Avalanche RAPOSEIRA 5ª edição!

Perto de 200 atletas! Definitivamente a alegoria do BTT regional. E mais uma vez (a quinta vez) que ficamos com a sensação que deveríamos ter participado! O público vibrou com as habilidades dos mais audazes, e a população local encontra nesse dia uma escapatória a "vagarosa" do tempo… Uma festa, uma alegria…Macarrão, cervejas e muitas bicicletas sujas de tanta terra.

Para o ano lá estaremos, nem que seja para testemunhar e bebericar um "jola".

Parabéns a todos os intervenientes e a equipa que ajuda, assim como a organização, para que este evento seja um marco desportivo na nossa região.



 
POWERADE ION4 Madrid-Lisboa Non STOP 2014 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

É com orgulho que aqui testemunhamos a alegria em ter superado tamanha façanha, apenas ao alcance dos grandes e genuínos atletas.

Mário Fonseca e Nuno Caeiro (3º à geral e 1º nacionais) a concluir o POWERADE ION4 de 2014 em equipa.

Parabéns!

 

Testemunho  e fotografias publicados no facebook (mural do atleta Mário Fonseca).

"Passaram há poucos minutos quarenta e oito horas desde o momento em que já não consegui dormir mais porque vinha aí o momento que tanto esperava, há mais de dois meses.
Não consegui dormir mais da mesma forma como há pouco mais de uma semana me acontecia quando ficava sentado à beirinha da cama, a meio da noite, a olhar para a bicicleta quase imprópria para pedalar na estrada e a fazer contas de cabeça a pensar como é que eu iria poder suportar os custos da mais simples das inúmeras reparações que ela precisava para que fosse seguro levá-la para fora de estrada, quanto mais conseguir sequer viajar até à partida da corrida em Madrid. A duas semanas antes da corrida cheguei ao ponto de quase não ter sequer dinheiro para ir ao supermercado comprar ovos, farinha e açúcar para fazer as famosas panquecas, para ter o que comer enquanto treinava, ou não poder fazer aqueles treinos de longo curso porque não tinha como comprar abastecimentos para a viagem de volta... por isso... como é que eu iria ser capaz de, depois de ter quase desfeito a bicicleta a fazer oito mil km para ganhar a inscrição, chegar a Madrid com as mínimas condições? Sempre que falava com o Nuno Caeiro ao telefone e ouvia o entusiasmo dele sentia-me sempre com a necessidade de, sem revelar a situação desesperante em que me encontrava, lhe dar a entender que se calhar eu não ia conseguir participar com ele na corrida... e assim ele não poderia também ir porque não havia a opção de correr a solo. Mas ele não desistiu nunca de me dizer para eu não me preocupar, coisa que me era completamente impossível de fazer visto que já nem dormir em condições conseguia... a fazer contas de cabeça com um zero no espaço a seguir ao saldo disponível...
Há quarenta e oito horas atrás acordei às quatro e meia da manhã, em Madrid, e não consegui mais adormecer. Só que desta vez eu queria manter-me acordado não estivesse aquilo tudo a não ser mais que um daqueles sonhos dos quais não queremos acordar! Inacreditavelmente eu estava em Madrid, a poucas horas de participar na minha primeira grande aventura competitiva e consegui-o porque em menos de seis dias "choveram" inúmeros donativos! Depois de pensar que se apenas uma pessoa o fizesse já seria excelente mas assim fosse não teria como participar à mesma e teria que o devolver... E ainda mesmo no dia anterior, em conversa com os meus companheiros desta aventura, eu não conseguia expressar por palavras aquilo que TODOS VOCÊS fizeram por mim!
Sim.
Eu.
Um trinca espinhas mal vestido com idade e corpinho para trabalhar mas qu em dois anos de desemprego foi aos poucos perdendo a auto-estima até chegar ao ponto de ter que estar a quase pedir esmola para "andar de bicicleta". Pedalar tem sido aquilo que me tem impedido de ter uma depressão profunda e estar entupido com drogas, as quais também não teria como pagar. Mas para uma grande fatia dos portugueses, fazer vida do desporto é coisa de quem não quer deixar de ser criança e que não quer trabalhar! Auto-estima... zero! Até que em poucos dias, passei de pessimista, ou realista como costumo dizer, a alguém que nunca pensei algum dia vir a ser... optimista!
Acreditar.
Já bati com a cara tantas vezes no chão e tive tantas ilusões, planos e sonhos desfeitos que pura e simplesmente... deixei de conseguir acreditar.
Numa semana enchi-me de esperança e o peito encheu-se-me de uma energia positiva "in-acreditável" ficando coberto, literalmente, pelos nomes daqueles que, sabendo eu que vivem pouco melhor que eu, doaram o que podiam, o que tinham e que no tinham para um trinca,-espinhas mal vestido fosse "brincar aos ciclistas"...
Mas, mesmo depois de cortar a meta, ainda me custava a fazer uma coisa tão simples....
Acreditar!
OBRIGADO A TODOS DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO!"
Mário Fonseca, in Facebook-22 de setembro de 2013.

 

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 8