passeios ao Paúl da Serra

Está agendado para todos os primeiros domingos de cada mês uma subida ao Paúl da Serra pela estrada da Encumeada e regresso pelos Canhas (Ponta do Sol).

A concentração dos participantes é no café "Ponte Vermelha" Ribeira Brava com saída às 8h00, paragem no café da Encumeada para reagrupamento e partida para o Paúl às 10h30.

A chegada aos carros é ao meio dia!

Vem connosco!

O Picadeiro

Área Reservada

Testemunhos
Xicêzada transmontana num verão azul! PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Alguns "Bravas" encontraram-se em terras transmontanas para um "bêtêtê", na zona da Torre Dona Chama. Percorremos alguns trilhos que pertencem as memórias dos guias. A terra seca, com constantes sobes e desces por entre vegetação baixa, em caminhos de terra habituados apenas aos tractores, tiveram a visita dos três estarolas. Foi uma manhã muito animada, onde podemos conhecer os olivais; descomunais montes de perder de vista, terras estas dos guias Bruno e Nuno. A Cannondale furou a cada passagem por silvas secas adormecidas e ressequidas pelo sol. O gps dizia/ informava que era sempre em frente, e mais uma vez tivemos que carregar as burras às costas, não fosse isso um epistolo "braviano". Fizemos um percurso turístico, com muita cavaqueira e boa disposição debaixo de um sol e calor abrasador! A repetir sem falta…

xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1816 xc_transmontano_img_1816
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1817 xc_transmontano_img_1817
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1818 xc_transmontano_img_1818
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1819 xc_transmontano_img_1819
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1820 xc_transmontano_img_1820
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1821 xc_transmontano_img_1821
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1822 xc_transmontano_img_1822
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1823 xc_transmontano_img_1823
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1824 xc_transmontano_img_1824
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1825 xc_transmontano_img_1825
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1826 xc_transmontano_img_1826
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1827 xc_transmontano_img_1827
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1828 xc_transmontano_img_1828
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1829 xc_transmontano_img_1829
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1830 xc_transmontano_img_1830
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1831 xc_transmontano_img_1831
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1832 xc_transmontano_img_1832
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1833 xc_transmontano_img_1833
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1834 xc_transmontano_img_1834
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1835 xc_transmontano_img_1835
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1836 xc_transmontano_img_1836
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1837 xc_transmontano_img_1837
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1838 xc_transmontano_img_1838
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1839 xc_transmontano_img_1839
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1845 xc_transmontano_img_1845
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1846 xc_transmontano_img_1846
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1847 xc_transmontano_img_1847
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1848 xc_transmontano_img_1848
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1849 xc_transmontano_img_1849
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1850 xc_transmontano_img_1850
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1851 xc_transmontano_img_1851
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1852 xc_transmontano_img_1852
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1853 xc_transmontano_img_1853
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1854 xc_transmontano_img_1854
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1855 xc_transmontano_img_1855
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1856 xc_transmontano_img_1856
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1857 xc_transmontano_img_1857
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1858 xc_transmontano_img_1858
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1860 xc_transmontano_img_1860
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1861 xc_transmontano_img_1861
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1862 xc_transmontano_img_1862
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1863 xc_transmontano_img_1863
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1864 xc_transmontano_img_1864
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1868 xc_transmontano_img_1868
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1870 xc_transmontano_img_1870
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1874 xc_transmontano_img_1874
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1878 xc_transmontano_img_1878
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1879 xc_transmontano_img_1879
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1889 xc_transmontano_img_1889
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1890 xc_transmontano_img_1890
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1891 xc_transmontano_img_1891
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1892 xc_transmontano_img_1892
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1893 xc_transmontano_img_1893
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1894 xc_transmontano_img_1894
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1895 xc_transmontano_img_1895
xc_transmontano...
xc_transmontano_img_1896 xc_transmontano_img_1896

 
É para isso que aqui estamos! I TRANS MADEIRA ISLAND BIKE TRAIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Chegamos finalmente ao dia do evento!
Para quem conhece o projeto dos bttbrava sabe e pode atestar que hoje é o dia da concretização de um sonho, o culminar de muitos e muitos passeios. O I trans Madeira island bike trail é uma homenagem a quem ao longo destes 7 anos sonhou como nós que era possível ir mais além daquela curva, ir mais além daquela serra. Muitos milhares de litros de suor escorreram pelo rosto, muitos milhares de calorias foram queimadas para fazer rodar com mais ou menos força a cremalheira. Há muitos anos idealizamos este evento, mas sem precipitações esperamos pela altura certa. Há muitos anos olhamos para as estrelas e dissemos que ali seria o lugar ideal para pedalar! Agora, é a hora! A hora de partir para esta aventura, e deixar a semente para que no próximo ano haja mais gente a participar neste projeto, tanto em termos desportivos como na gestão e organização.
Não obstante, tudo isso só é possível com a ajuda de todos, que de uma forma ou de outra, criaram condições para que os loucos da Ribeira Brava pudessem pôr de pé um ajuntamento semanal de aficionados de bicicleta todo terreno, nestas serras da Madeira; seriámos ingratos não o referirmos agora e aqui.
Se analizarmos a lupa os trilhos do I trans Madeira island bike trail, poderemos ver todos os passeios resumidos em duas etapas, realizados ao longo destes anos, e que aos poucos foram preenchendo o calendário bttbrava. Realizá-los numa rajada de dois tiros é "ulisseano". Tudo sempre com grande teor de calorice, sem retorno económico, sem pretensões de pódios... mas com muita força de vontade em querer melhorar, muita força de vontade em querer chegar mais além e fazer sempre cada vez melhor. Com grande esforço empreendedor, sacrifício e paciência dos familiares, alicerces fundamentais do projeto bttbrava, provámos que podemos alcançar o sonho, provámos que somos uma alternativa para um fim de semana bem passado, e provámos que somos uma equipa muito especial, diferente dos demais. Os raids, as maratonas e agora as ultra-maratonas são o nosso mote, a nossa forma de ver e viver o btt, sem teores competitivos, sem exercício de arrogância. São anos a esperar pelo fim de semana, anos a sonhar com os trilhos de sábado, a trilhar os caminhos em btt em busca do melhor caminho, sem esperar pelos os que dizem que um dia vão fazer; se fossemos esperar ainda estávamos sentados, balofos e estonteados com a pujança do vazio.
Isto é fruto de muito, muito trabalho; para muitos um dado adquirido, um deixa ver se me apetece. Mas para quem está por detrás, quem dá o couro, são horas e horas de trabalho semanal, em busca de diversificação, de estar atento ao que se faz lá fora, e em trazer novas perspectivas de abordar o ciclismo de todo o terreno para a região. Conciliar trabalho, família e bichinho do btt ocupa muito tempo, em detrimento de muitas outras coisas, que todos devemos respeitar. O I TRANS MADEIRA ISLAND BIKE TRAIL, tem centenas de horas de preparação, horas no terreno, horas no computador, horas de investigação em orientação com ajuda do gps, horas disto e daquilo… E isso é preciso respeitar! É por isso que fomos intransigentes com as inscrições e com todo o processo de participação dos atletas. É necessário sermos responsáveis, saber o que querer e não deixar para o fim as decisões, pois está envolvida toda uma estrutura organizativa, desde pessoas e muita labora (para sermos respeitados temos de ser respeitadores).
Hoje estamos na serra a concretizar aquilo que sonhamos; a pedalar pelos trilhos sorridentes e sofridos de tanto cansaço. Hoje todos nós estamos de parabéns; qualquer que seja o resultado obtido. O II TRANS MADEIRA ISLAND BIKE TRAIL está na forja… Se não participaste este ano, basta esperar mais um ano e quatro meses, e treinar muito até lá… Que isto não é dar voltinhas ao circuito!

 
ARMADA madeirense PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Diário de Notícias, 28 de Abril de 2012.

Este ano os "BTTistas" Madeirenses irão marcar mais uma vez presença na Maratona de Portalegre.

Irão estar várias equipas nesta edição; é de salientar os "BTTBRAVA", que irão fazer-se representar com um número significativo de atletas. Todos eles são para nós um orgulho, pois são o fruto de muitos anos de passeios com muitas cavaqueiras e muitos quilómetros percorridos; urge a necessidade em cada um de nós abraçar novos projetos, novas aventuras e novos desafios pessoais.

Os Ases do Pedal com esta maratona, conseguiram ganhar espaço na oferta de eventos, mais respetivamente no que respeita as maratonas como a rainha mãe das maratonas. Muitos fóruns e milhares de testemunhos elogiam a grandeza deste evento, onde referem muitas vezes que a maratona de Portalegre é a aquela prova que inicia muitos "bttistas" no mundo das longas distâncias. Há sempre a necessidade de mais cedo ou mais tarde voltar (do género Santiago de Compostela), quem lá vai uma vez volta sempre; isto deve-se a excelência organizativa de todo uma estrutura de pessoas que ao longo destes últimos meses têm trabalhado afincadamente.

Este ano tivemos a participação neste projeto, do CAFÉ RECREATIVO PONTE VERMELHA, na Ribeira Brava, que nos abriu as portas oferecendo os seus serviços com grande qualidade e a bom preço; um especial muito obrigado ao Duarte por patrocinar o Pascal a viagem ao continente para fazer o evento.

Nesta edição de 2012, e para além dos "habitués" individuais, teremos as equipas do Ciclo Madeira e Alma Lusa, que certamente irão dignificar os "bttistas" regionais, nesta que será certamente a edição MADeira in Happy-door.

Em nome de todos os "BRAVAS" desejamos-vos boa sorte!

pascal

 

 

 
Maratona Ases do Pedal (portalegre 2012) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

PROGRAMA

Sexta, 04 de Maio 2012

18h00 Abertura do Secretariado – Sede Ases do Pedal

23h00 Encerramento do Secretariado

Sábado 05 de Maio 2012

07h00 Abertura do Secretariado – Sede Ases do Pedal

07h00 Abertura do Controlo "Km O"

08h45 Encerramento do Secretariado

09h00 Partida do PortalegreBTT SportZone (Passagem por Zona Industrial, Salão Frio,

Alto S Mamede, Alegrete, Jardim Corredoura)

11h00 Reabertura do Secretariado no local da Meta

11h30 Chegada prevista do 1o atleta da Meia

13h30 Chegada prevista do 1o atleta dos 100 Kms

14h00 Inicio das refeições no Pavilhão Nerpor

15h30 Encerramento do Controlo Intermédio

19h00 Encerramento do Controlo de Meta

 

Dormidas - na noite de 4-5 de Maio pode acampar junto do local de partida ou se preferir dormir no Pavilhão da Escola José Régio a 800 mts.

Banhos - Embora o Estádio Municipal possua algumas dezenas de chuveiros também pode tomar banho no Polivalente do Bairro dos Assentos que dista 500 mts


 
RAID "DEVILIZADO" by pascal e apimentado pelo nicopower PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Se fossemos realizar e concretizar tudo que sonhamos, estaríamos todos neste preciso momento a teletransportarmo-nos  de um lado para o outro, sempre à procura de um lugar ideal. E uma coisa é certa, passaríamos sem qualquer dúvida pelo RAID "DEVILIZADO" by pascal e apimentado pelo nicopower.
Para quem testemunhou tamanha aventura sentiu o que é um RAID com cariz de "cházinho de erva doce".
Ironia à parte, um RAID de 121 kms com 3600 metros de acumulado positivo, é algo que não se pode fazer todos os dias, e muito menos sem uma grande preparação em endurance, acompanhado de uma enorme vontade de superação, física e psicologica.
O traçado "DEVILIZADO" antecipava um jogo de constantes sobe e desces, onde não se deu importância a deslocação de um ponto para o outro mas sim, numa exploração em elevar a dificuldade de recuperação física, como também técnica. Ver e desenhar o trilho no GOOGLE earth é uma coisa de sofá, realizá-lo em cima da "Bina" é como subir o Evereste em pé cochinho. Foram 4000 calorias em média queimadas ao longo de 11 horas de puro BTT. Para alguns leitores é com certeza manteiga, para outros é dureza, para nós foi o culminar de meses de passeios, que nasceu da vontade em querer ir mais longe, dificultando as coisas e aguentando a dor inerente deste tipo de morfologia desportiva. Não nos preocupamos com tempos, não nos preocupamos com performances, estávamos focados sim no espírito de aventura e de concretização. Buscamos o prazer de suplantar o que pensaríamos intangível, sem conotação competitiva. Não estará aí o verdadeiro espírito Bravabtt? Assistir e testemunhar a evolução dos participantes, tanto em termos físicos como também técnicos, é um regalo; é o verdadeiro sentido deste projeto que é de todos "Bravabtt". Os leitores interessados, certamente querem saber um pouco do que foi este RAID "DEVILIZADO" by pascal e apimentado pelo nicopower. Para começar, a sua planificação trajectorial direccionou-se em percorrer quase todos os trilhos conhecidos na zona centro e oeste da ilha e juntar o maior número de kms possível fora de alcatrão. O resultado deu numa espécie de "spaghetti" de terra, cerro e pedra solta, com inclinações de bradar aos céus. Como qualquer trajecto de longo percurso optamos pela orientação em gps, na qual começamos a aprofundar todas as suas valências, a custo de todos os intervenientes, que de uma forma ou outra sabem trazer sugestões pertinentes, que em muito melhora a organização e gestão de eventos em BTT.
Feito um ligeiro briefing matinal no epicentro Bravabtt (café Ponte Vermelha, na Ribeira Brava), partimos em direcção aos Prazeres, onde iríamos escalar até aos trilhos da Fonte do Bispo. O sentido do percurso foi pensado para não aborrecer os que subejamente conhecem os recantos de todos os kms dos trilhos. Fazê-los em sentido contrário, cortar por single-tracks escondidos, apenas conhecidos pelas vacas do Paúl e não parar em cruzamentos com medo de alguém ficar para trás deram ao RAID um cheirinho especial, um delicioso cheirinho a chã de erva doce. Conversas rotineiras só duraram os primeiros e roliços 30 kms. Depois foi dureza atrás de dureza, ninguém falava, toda a respiração era aproveitada ao máximo; recuperar das elevadíssimas cadências e puxar ao limite a velocidade foram o "mote" de cada gota de suor escorrido nestes 121 kms. Depois de uma montanha russa em btt, atacamos o empeno demoníaco e só paramos ao cabo dos 80kms no nosso primeiro reagrupamento, um oasis no planalto dos aventureiros e audazes desportistas, o jungle rain. Coca-colas e cafés gola abaixo, e não mais que 15 minutos de paragem para esticar as costas, partimos ao assalto do ponto mais alto do percurso, a Bica da Cana (1640m); que ensolada, facilitou-nos a sua subida embelezando-se com uma panorâmica, sobre toda a ilha de fazer corar o Olímpo. Não seria exagero de referir que estava sol de meter inveja a um dia "venereante" de pleno mês de Agosto. Planalto lado norte, seguido do lado sul com uma única paragem no reagrupamento nº2 (novamente jungle rain), fez com que o percurso fosse visto como bolo-do-caco e manteiga de alho (uma saborosa degustação palativa). A pimenta do Nicolau estava guardada para os últimos 28 kms; descer o Rochão sem pestanejar e atacar as suas curtas subidas com toda a energia foi sem dúvida a cereja em cima do bolo, e como se não bastasse regressamos à estrada pelos Canhas, obrigando-nos a percorrer os últimos 3 kms num estradão que a esta altura só estava para empenar. E ao cabo de 11 horas no parque de diversão, o Disneyland madeirense, reagrupamos-nos finalmente no tão merecido prego no bolo-do-caco, deliciosamente preparado na Ponte Vermelha. A satisfação percorria nas veias de cada um, a emoção de olhar para os equipamentos e analisar os gráficos obscenos deram ao preguinho um sabor que ninguém nos poderá tirar.

RAID "DEVILIZADO" by pascal e apimentado pelo nicopower, teve como slogan: DESISTIR é para sempre... FAZÊ-LO é sofrer. CONSEGUIR será sem dúvida a epopeia do ano!

Não posso terminar sem antes de referir, senão terei graves problemas físicos, que o Nicolau orgulhoso em ter conseguido sem desistir, percorreu mais 5 kms que os restantes, pois fez o encontro e o regresso em cima da "Cannondale" desde casa.


pascal

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 8