passeios ao Paúl da Serra

Está agendado para todos os primeiros domingos de cada mês uma subida ao Paúl da Serra pela estrada da Encumeada e regresso pelos Canhas (Ponta do Sol).

A concentração dos participantes é no café "Ponte Vermelha" Ribeira Brava com saída às 8h00, paragem no café da Encumeada para reagrupamento e partida para o Paúl às 10h30.

A chegada aos carros é ao meio dia!

Vem connosco!

O Picadeiro

Área Reservada

POWERADE ION4 Madrid-Lisboa Non STOP 2014 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

É com orgulho que aqui testemunhamos a alegria em ter superado tamanha façanha, apenas ao alcance dos grandes e genuínos atletas.

Mário Fonseca e Nuno Caeiro (3º à geral e 1º nacionais) a concluir o POWERADE ION4 de 2014 em equipa.

Parabéns!

 

Testemunho  e fotografias publicados no facebook (mural do atleta Mário Fonseca).

"Passaram há poucos minutos quarenta e oito horas desde o momento em que já não consegui dormir mais porque vinha aí o momento que tanto esperava, há mais de dois meses.
Não consegui dormir mais da mesma forma como há pouco mais de uma semana me acontecia quando ficava sentado à beirinha da cama, a meio da noite, a olhar para a bicicleta quase imprópria para pedalar na estrada e a fazer contas de cabeça a pensar como é que eu iria poder suportar os custos da mais simples das inúmeras reparações que ela precisava para que fosse seguro levá-la para fora de estrada, quanto mais conseguir sequer viajar até à partida da corrida em Madrid. A duas semanas antes da corrida cheguei ao ponto de quase não ter sequer dinheiro para ir ao supermercado comprar ovos, farinha e açúcar para fazer as famosas panquecas, para ter o que comer enquanto treinava, ou não poder fazer aqueles treinos de longo curso porque não tinha como comprar abastecimentos para a viagem de volta... por isso... como é que eu iria ser capaz de, depois de ter quase desfeito a bicicleta a fazer oito mil km para ganhar a inscrição, chegar a Madrid com as mínimas condições? Sempre que falava com o Nuno Caeiro ao telefone e ouvia o entusiasmo dele sentia-me sempre com a necessidade de, sem revelar a situação desesperante em que me encontrava, lhe dar a entender que se calhar eu não ia conseguir participar com ele na corrida... e assim ele não poderia também ir porque não havia a opção de correr a solo. Mas ele não desistiu nunca de me dizer para eu não me preocupar, coisa que me era completamente impossível de fazer visto que já nem dormir em condições conseguia... a fazer contas de cabeça com um zero no espaço a seguir ao saldo disponível...
Há quarenta e oito horas atrás acordei às quatro e meia da manhã, em Madrid, e não consegui mais adormecer. Só que desta vez eu queria manter-me acordado não estivesse aquilo tudo a não ser mais que um daqueles sonhos dos quais não queremos acordar! Inacreditavelmente eu estava em Madrid, a poucas horas de participar na minha primeira grande aventura competitiva e consegui-o porque em menos de seis dias "choveram" inúmeros donativos! Depois de pensar que se apenas uma pessoa o fizesse já seria excelente mas assim fosse não teria como participar à mesma e teria que o devolver... E ainda mesmo no dia anterior, em conversa com os meus companheiros desta aventura, eu não conseguia expressar por palavras aquilo que TODOS VOCÊS fizeram por mim!
Sim.
Eu.
Um trinca espinhas mal vestido com idade e corpinho para trabalhar mas qu em dois anos de desemprego foi aos poucos perdendo a auto-estima até chegar ao ponto de ter que estar a quase pedir esmola para "andar de bicicleta". Pedalar tem sido aquilo que me tem impedido de ter uma depressão profunda e estar entupido com drogas, as quais também não teria como pagar. Mas para uma grande fatia dos portugueses, fazer vida do desporto é coisa de quem não quer deixar de ser criança e que não quer trabalhar! Auto-estima... zero! Até que em poucos dias, passei de pessimista, ou realista como costumo dizer, a alguém que nunca pensei algum dia vir a ser... optimista!
Acreditar.
Já bati com a cara tantas vezes no chão e tive tantas ilusões, planos e sonhos desfeitos que pura e simplesmente... deixei de conseguir acreditar.
Numa semana enchi-me de esperança e o peito encheu-se-me de uma energia positiva "in-acreditável" ficando coberto, literalmente, pelos nomes daqueles que, sabendo eu que vivem pouco melhor que eu, doaram o que podiam, o que tinham e que no tinham para um trinca,-espinhas mal vestido fosse "brincar aos ciclistas"...
Mas, mesmo depois de cortar a meta, ainda me custava a fazer uma coisa tão simples....
Acreditar!
OBRIGADO A TODOS DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO!"
Mário Fonseca, in Facebook-22 de setembro de 2013.